domingo, 9 de fevereiro de 2014

As cicatrizes de um cancro que não é um laço cor-de-rosa

Quando vi esta notícia no Público olhei, li, reli, e tornei a olhar cada foto...  e simplesmente não tenho palavras para descrever tudo aquilo que me vai na alma. Admiro a força de viver e a coragem do antes, durante e do depois de todo esse "proceso" que originou estas cicatrizes.

Simplesmente partilho porque acho que é obrigatório partilhar!
















"O cancro da mama não é um laço cor-de-rosa", daqueles de pendurar na lapela com um alfinete. Quem o diz é David Jay, o fotógrafo de moda responsável pelos retratos de jovens sobreviventes de cancro da mama, todas entre os 18 e os 35 anos, "The SCAR Project". O que começou por ser uma campanha de sensibilização para a doença numa faixa etária por vezes ignorada é já um projecto com documentário, livro e exposição (a inaugurar a 17 de Outubro nos Estados Unidos, em Houston), que conta com quase 100 retratos. O nome do projecto, SCAR, remete para as cicatrizes e para a mensagem que David Jay quer passar: “Surviving Cancer Absolute Reality”. “Para algumas destas jovens mulheres, ser retratada parece representar uma vitória pessoal sobre esta doença assustadora. Ajuda-as a recuperarem a sua feminilidade, sexualidade, identidade e o seu poder, depois de lhes ter sido roubada uma parte tão importante”, diz David no site do projecto. 

créditos Público

Sem comentários:

Enviar um comentário