segunda-feira, 10 de agosto de 2015

E a vida vem e recompensa*

Baralhar e voltar a dar. Saber que a sorte dá trabalho a conquistar, que exige paciência, muita paciência, muita resiliência e um exercício diário de gratidão por parte de quem a sabe certa para quem a merece ter.
Por isso, quando os dias não começam da melhor forma, quando as coisas não correm como gostaríamos, quando lamentamos o arrastar de uma decisão há muito tomada (dentro de nós), quando sentimos que o estado de espírito que teimamos em contrariar, condiz com o tempo cinzento que parece ter vindo para ficar, há poucas coisas que libertam desta espécie de arrastão emocional: o nosso núcleo duro dos afectos, aquele que está sempre lá para nós, e o sucesso das pessoas de quem gostamos muito. Porque receber boas notícias em forma de abraço, saber da mudança da vida de alguém, é o que faz acelerar o coração, iluminar o olhar, sentir o sol mais quente, aquele renovar da vontade de fazer acontecer. E tudo o resto desaparece, tudo o mais perde importância. Voltamos a relativizar o que tirou o sono e uma parte da boa disposição, voltamos a perceber que é este o caminho certo, voltamos a sentir gratidão por a vida continuar a ser tão generosa e pôr no nosso caminho, no dia e hora certos, as pessoas que fazem a diferença.

* e devolve-te o equilíbrio. 
» créditos imagem | mountain lauriel

Sem comentários:

Enviar um comentário