segunda-feira, 1 de junho de 2015

Não se encontra só o que se encontra*


Há certezas que se alinham e outras que se perdem. Há gestos que se mantêm na coerência certa que a vida ensina a cultivar, e outros que abandonamos sem dor porque perderam o sentido. Há lugares que deixam de ser nossos e outros que adoptamos como parte de nós. São a nossa casa.
Há pessoas que fazem histórias e outras que fazem parte da nossa história. Há os amores que desejamos ter para a vida e os outros que desejamos ser a vida inteira. Amores que não sendo da vida toda, nos fazem sentir que mais de metade dos nossos dias, os de agora que são os que realmente importam, e os de amanhã, que cuidamos para que sejam bonitos e multiplicados, são fruto das escolhas que fizemos, das renúncias que nos doeram, das cedências que nos cimentaram, das certezas que nos aproximaram e do perdão que nos serenou.
Há respostas que só a vida, a mesma que nos empurra todos os dias para a frente, nos consegue dar. Num tempo certo que é o seu e que importa aprender a confiar.

mas também o que se procura.
» créditos http://asnovenomeublogue.clix.pt/

3 comentários:

  1. eu espero que o meu amor seja mesmo para vida toda, assim sem mais nem menos :)

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Gostei do texto.
    Sorteio do blog.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Amei o texto ,e espero que meu amor seja infinito !
    Beijão!!!
    Temos post novo <3
    http://mestrelato.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar