segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Para ser feliz, decidir



«Muitas vezes parecemos estar à espera de um qualquer sinal espectacular para tomar uma decisão de vida sempre adiada. E queixamo-nos de falta de meios para, então sim, levar a cabo aquela transformação necessária ou aquela viragem desejada ou, mais adiante ainda, aquela concretização que indefinidamente protelamos. Contudo, as verdadeiras transformações inventam os meios próprios para se expressarem, e estes, regra geral, começam por ser espantosamente modestos. Fernando Pessoa, com a caricatura dos que «conquistam o mundo sem levantar-se da cama», refere, no fundo, uma doença interior infelizmente muito comum: idealizamos de tal maneira o que pode ser a vida, que ela perde, depois, o jogo por falta de comparência, sequestrada num plano cada vez mais mental e abstracto. 
Se não estamos dispostos a aprender com a sabedoria dos pequenos passos e com a dinâmica do provisório, dificilmente alcançaremos o segredo da alegria.»

retirado de: http://asnovenomeublogue.clix.pt/

1 comentário:

  1. "Seja lá o que for que queira ir, deixe ir...não tente prender, não tente evitar, não tente adiar, a vida precisa seguir seu ciclo natural, mudanças são necessárias, nada é insubstituível, a impermanência e a morte sao as unicas certezas dessa vida. Não se limite, não se permita estagnar..."
    autor desconhecido

    ResponderEliminar