“Escuta”…
Estás-me a ler?
Tenho uma coisa para te dizer:
O mundo precisa de ti. Juro que precisa.
Se tens o poder de fazer alguém feliz, usa-o.
Se precisas de falar, fala.
Se consegues inspirar alguém a ser melhor, inspira.
Se consegues partilhar alegria, fá-lo.
Se consegues ensinar algo, divulga esse conhecimento.
Se consegues ser diferente, usa isso a teu favor.
Sê único, sê autêntico.
Se consegues ligar a alguém que gostas para matar saudades, liga.
Se consegues quebrar a rotina de um modo espontâneo, quebra-a.
Se consegues ajudar a alguém e dar-lhe um bocadinho de atenção, ajuda.
Se consegues elevar a vibração da tua vida e nas coisas mais simples descobrir a felicidade, não te demores.
Se consegues demonstrar os teus sentimentos, demonstra, escreve, abraça, beija. Só porque sim, só porque te apetece.
Se consegues agradecer, reconhecer e valorizar, agradece, reconhece e valoriza.
Temos que parar com esta mania de achar que temos todo o tempo do mundo, que pode ser amanhã, que depois no outro fim-de-semana vamos ser felizes, que depois para o ano vamos isto e aquilo, que ligamos depois…
Como se conseguíssemos parar o tempo, como se fossemos detentores dele mesmo, como se conseguíssemos pôr pausa e o filme da vida parar ali. Achar que amanhã e depois é que temos tempo pode ser uma ilusão, achar que amanhã a expressão de sentimentos vale tanto como hoje, é uma mentira, pois amanhã já existem outras variáveis, amanhã pode ser tarde demais. Tarde demais para o abraço ser dado, para os sentimentos serem expressos, para a verdade ser dita, para se fazer algo por nós mesmos.
Pode ser tarde demais para ajudar os outros e a nós mesmos, tarde demais para amarmos, tarde demais para valorizar a felicidade.
O tempo não pára, o mundo não permanece sempre igual, as pessoas transformam-se e a vida não espera que te decidas!
A vida é agora!
Vive-a sem demora!

Texto de Nita Domingos para a
Maria Capaz
Beijocas,
Sandra