segunda-feira, 29 de junho de 2015

Desapego | Soltar

Às vezes ficamos zangados com a vida e com o mundo. Com tempo, aprendemos a fazer as pazes com a vida, mas nem sempre sabemos como perdoar o mundo. Percebemos como é difícil reaprender a diferença entre um amigo e uma espécie de amigo. Voltamos ao dicionário para rever a definição de valores e princípios – são estas as constâncias que nos edificam.
Temos muitos dias de pensar duas, três, quatro, mil vezes nos recomeços que nos fazem voltar ao princípio de tudo e mudar a nossa vida a 180º. E mesmo para quem é absolutamente pró mudança, quem acredita que as oportunidades quando surgem são para ser agarradas com as duas mãos, quem não tem medo de arriscar, de ir, de saltar com fé, de conjugar com convicção o verbo acreditar (e confiar - na vida), às vezes passamos por momentos de indecisão, de pedir ao tempo, ao mundo, à vida que pare, que sossegue, que fique em silêncio por um momento, para que possamos ouvir o nosso coração.
Quando as decisões estão tomadas o importante é seguir em frente. E acreditar que a bússola que nos orienta está sintonizada com o único ritmo que nos conhece por dentro: o do coração.

» créditos http://asnovenomeublogue.clix.pt/

2 comentários:

  1. excelente reflexão :)

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar