segunda-feira, 9 de março de 2015

Bom dia


Ainda bem que os planos mudam. Ainda bem que as agendas se trocam quando gastas e nos fazem esquecer as vezes que falhámos, tentámos e falhámos de novo até acertar o passo. Que nunca nos esqueçamos das lições de humildade que as nossas quedas nos ensinaram.
Ainda bem que o amor continua a ser o que faz o mundo girar. Ainda bem que essa coisa do desígnio, do destino, não é exactamente como nós o traçamos, o queremos, o idealizamos. As surpresas [boas] acontecem e as pessoas mudam, transformam-se, crescem e encontram a linha do plano que lhes faltava para que, no final, tudo bata certo. Ou mais certo.
Claro que há dias em que apetece muito voltar no tempo. Há dias em que apetece fechar na concha e ficar por lá sem tempo definido para sair. A ansiedade e a busca da perfeição vão existir sempre dentro de nós e há dias em que precisamos somar certezas daquilo que queremos e de tudo o que não queremos.
Felizes dos audazes. E dos que têm coragem de dar um passo atrás, de admitir que estavam errados, de pedir desculpa, de hastear a bandeira branca, de acabar com o braço-de-ferro, de chorar tudo de uma só vez e de, mesmo com uma cicatriz a mais, ir buscar forças para reaprender a ser feliz, reaprender a dar uma nova oportunidade a si mesmos, à vida, aos outros, a um novo amor, e ao coração, aberto à esperança num novo «era uma vez».
http://asnovenomeublogue.clix.pt/

Sem comentários:

Enviar um comentário