quinta-feira, 4 de setembro de 2014

O perfil "Côderosa" da Nonô

               

"A menina que Portugal acarinhava morreu... 

Todos tememos essa dor de pai e mãe, todos sabemos o quanto eles e esta princesa lutaram. E não há muito mais a dizer. As crianças não deviam morrer. Só os idosos ;(

A Nonô morreu. E sim, muitos outros meninos estão na mesma luta. Penso muito, muito nisso, já pensava antes, durante a sua tentativa de cura. Que há, infelizmente mais Nonôs por aí... mas ela acabou por se tornar um símbolo. Um símbolo, principalmente da força e da esperança que o lidar com esta doença exige a todos os que a vivem. Era, por outro lado, a imagem espelhada do terror que cada um de nós, pais e mães, tem, que um dia um filho nosso possa ter que passar pelo mesmo. Por isso, agradeço todos os dias a saúde. Que é sem dúvida o principal, o mais importante no meio de tudo o que possamos estar a passar... tudo o resto, de uma forma ou de outra se resolve... a doença crónica, a morte... não.


"Côderosa" era a sua cor. Qual o mal de o expor como forma de a homenagear? 

O meu perfil, mantem-se rosa. Porque acredito que ela sorrirá ao saber que tanta gente triste com a sua morte, consegue (também devido à forma, sentida mas especial que os seus pais viveram a sua doença e vivem agora o seu desaparecimento) pensar nela como uma linda princesa que amava esta cor e queria ser princesa.

Querida Nonô e família, queridos meninos que passam por esta terrível doença. Este perfil é para vocês. Esta cor é vossa. Para voarem com a alegria, de quem se libertou da dor..."

Sem comentários:

Enviar um comentário